É… É-TER… ÉTER… É-TER-NA-MENTE… ÉTER-NA-MENTE… ETERNA-MENTE… ETERNAMENTE…

É… É-TER… ÉTER… É-TER-N(A)-IDADE… ÉTER-N(A)-IDADE… ETERN(A)-IDADE… ETERNIDADE…

NESSES TEMPOS DE NADA FAZER HÁ UM CONVITE AO VISLUMBRE DA ETERNIDADE… E DESFRUTAR… MERGULHAR NELA COMO SURFISTA E SEU PEDACINHO DE CHÃO NOS PÉS ENCARANDO UM TUBO NUMA SUPER ONDA. SÓ HÁ UMA COISA A FAZER: SEGUIR.

ESTAMOS NELA TÃO PROFUNDAMENTE QUE NÃO A PERCEBEMOS…  E ELA É… E SOMOS… CAMINHANDO TODO O TEMPO SOBRE OS PASSOS DE NOSSOS ANCESTRAIS…

ESCREVEMOS A HISTÓRIA DA HUMANIDADE TODO DIA DEIXANDO RASTROS, CRIANDO LASTROS…

ESSE CURTO ESPAÇO DE TEMPO NECESSÁRIO PARA A READAPTAÇÃO E REAPROPRIAÇÃO DE SI É UM SUSPIRO NA ÉTER-NIDADE… UMA INSPIRAÇÃO…

VIVEMOS UM TSUNAMI INVISÍVEL QUE É PURO ÉTER.

VÁRIAS REFERÊNCIAS SURGEM DO LIVRE PENSAR, DO TEMPO PARA ABSTRAIR E ABRIR COFRES DE LEMBRANÇAS E SABEDORIAS, PROFECIAS, APOCALIPSE.

HÁ UM TEMPO ATRÁS OS GÊNIOS DE RITA LEE E SEU FILHO, BETO LEE, NOS TROUXERAM “O GOSTO DO AZEDO”, CANÇÃO COMPOSTA EM TEMPOS DE AIDS:

“SOU O GOSTO DO AZEDO, A EXPLOSÃO DE UM TORPEDO, CONTAMINAÇÃO DO MEDO, EU GUARDO SEU SEGREDO…”

“SOU DUPLA PERSONA, SEU ESTADO DE COMA, SOU O CAOS, SOU A ZONA, SEU NOCAUTE NA LONA…”

MEDO… MUITO MEDO…

MEDO, FRUTO DO APEGO, MEDO DE PERDER EMPREGO, SAÚDE, VERGONHA,  PESSOAS, BENS, DINHEIRO, SITUAÇÕES, VIDA…

SIM, PERDER A VIDA, MORRER… MEDO DE VIVER… MEDO DE MORRER… ETERNO DILEMA.

NESTE CONTEXTO, TEMOS A OPORTUNIDADE ÚNICA DE VIVENCIAR O ELEMENTO AR, O ÉTER, TÃO JUDIADO E POLUÍDO QUE ESTÁ EXPELINDO VÍRUS PARA SE DESINTOXICAR.

SEUS ELEMENTAIS, SILFOS E SÍLFIDES, SOPRANDO-NOS SABEDORIAS QUE PRECISAMOS APRENDER A OUVIR…

ROBERT G. INGERSOLL ENSINA QUE “NA NATUREZA NÃO EXISTEM RECOMPENSAS NEM CASTIGOS. EXISTEM CONSEQUÊNCIAS.”

UM AMIGO QUERIDÍSSIMO, QUE SE FOI PELA AIDS, DISSE-ME EM PLENA CONSCIÊNCIA, QUANDO O REENCONTREI NO FIM DA SUA VIDA: “ESTOU PAGANDO O PREÇO DOS MEUS EXCESSOS…”

COMO PODEMOS MANIPULAR A NATUREZA, NA QUAL ESTAMOS INSERIDOS PROFUNDA, INTRÍNSECA E INEXORAVELMENTE E A PERVERTERMOS? TODA AÇÃO PROVOCA UMA REAÇÃO. É COMO DAR TIROS NO PRÓPRIO PÉ.

SOFREMOS AGORA AS CONSEQUÊNCIAS DOS NOSSOS EXCESSOS… DA NOSSA ARROGÂNCIA E ESTUPIDEZ. TUDO TEM PREÇO. TUDO TEM RETORNO.

E VEM ESTE ZÉFIRO ENCANTADO E ADOECIDO DISTRIBUINDO INSPIRAÇÃO PARA ELEVAR NOSSA CONSCIÊNCIA.

O CAMINHO É PARA CIMA, EM DIREÇÃO AO ÉTER ETERNAMENTE PELA ETERNIDADE…

NÃO DUVIDO. CREIO. CONFIO.

FECHANDO ESTA REFLEXÃO DE QUARENTENA COM UMA ÚLTIMA E SIGNIFICATIVA REFERÊNCIA DE GABRIEL GARCIA MARQUES EM SEU LIVRO MARAVILHOSO “O AMOR NOS TEMPOS DO CÓLERA”:

“HILDEBRANDA TINHA UM DESENHO UNIVERSAL DO AMOR, E ACHAVA QUE QUALQUER COISA QUE ACONTECESSE COM UMA PESSOA AFETAVA TODOS OS AMORES DO MUNDO INTEIRO”…

“LEMBRE-SE DE MIM COMO UMA ROSA…”

QUER SABER MAIS SOBRE ISIS DE CASTRO, ACESSE:

Isis de Castro

QUER SABER MAIS SOBRE TEMPO DE ESCOLHA, ACESSE:

Sobre

 

 

 

 

 

 

Comentários

Comentários