BIODANZA – 07/04 – HIPOPÓTAMO E O PRAZER RENOVADOR DA ÁGUA – Isis de Castro.

Por Isis de Castro

DOMINGO – 07/04 – DAS 9 AS 12 HORAS VARANDA ESPAÇO E MOVIMENTO RUA DOS CORAIS, 18 – PONTA NEGRA (Ninho amoroso que nos acolhe…) https://www.facebook.com/avaranda/?fref=ts FONE: 3641-1615 / 998900852 tim whatsapp https://www.facebook.com/tempodeescolha/ Facilitadora: Isis de Castro – terapeuta transpessoal e corporal, arte educadora, aroma/massoterapeuta, Reiki Master, poetisa, atriz Contribuição: R$50 PODEMOS ESTAR ÀS 8:30…

BIODANZA – DOMINGO – 24/02 – O VOO DA GARÇA – Isis de Castro.

Por Isis de Castro

  DOMINGO – 24/02 – DAS 9 AS 12 HORAS. VARANDA ESPAÇO E MOVIMENTO RUA DOS CORAIS, 18 – PONTA NEGRA (Ninho amoroso que nos acolhe…) https://www.facebook.com/avaranda/?fref=ts FONE: 3641-1615 / 998900852 https://www.facebook.com/tempodeescolha/ Facilitadora: Isis de Castro – terapeuta transpessoal e corporal, arte educadora, aroma/massoterapeuta, Reiki Master, poetisa, atriz Contribuição: R$50 PODEMOS ESTAR ÀS 8:30 HS…

RESGATANDO A ESSÊNCIA – Isis de Castro.

Por Isis de Castro

  https://www.facebook.com/pg/EspacoDhyana/about/ Para maiores informações e agendamento,  ligue (84)998900852 Tim Whatsap   Às vezes tudo que precisamos é de um empurrãozinho. Alguém para ouvir, simplesmente, sem julgamento ou soluções prontas, oportunizando o ouvir-se, pois na verdade, isto é o mais importante. Quando nos ouvimos falando sem medo, processamos dúvidas, eliminamos maus pensamentos, revemos atitudes, muita…

JANELAS – Isis de Castro

Por Isis de Castro

Janelas, tão belas, singelas como passarelas que se estendem ao porvir. Como poderia viver sem elas que enchem meus olhos fazendo-me sorrir… Sinto fogo no meu peito e este presente aceito sonhando sem nem dormir. Apenas dois olhos atentos muitas vezes sonolentos, que querem mais se abrir e ver o que está por detrás, pois…

ÀS VEZES… – Isis de Castro

Por Isis de Castro

ÀS VEZES… às vezes parar na quietude às vezes só silêncio interessa às vezes perder-se em plenitude às vezes fundo do poço sem pressa às vezes tristeza faz moradia às vezes passado insiste em lembrança às vezes explosões de alegria às vezes resgate da criança às vezes a velha que inicia às vezes a saudade…